Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
28/11/23 às 11h49 - Atualizado em 28/11/23 às 11h53

Casa da Mulher Brasileira atende público LGBTQIAP+ no Novembro Azul

A Secretaria da Mulher, em parceria com a secretaria de Saúde, promoveu na Casa da Mulher Brasileira, em Ceilândia, nesta quinta-feira (23), campanha do Novembro Azul voltada para o público LGBTQIAP+, com foco em mulheres transgênero, travestis e pessoas não binárias. Foram oferecidos exames rápidos de hepatite B e C, HIV e sífilis, orientação para autoexame de mama, pedidos de exames de próstata e palestras educativas de autocuidado e prevenção a doenças.

 

 

 

 

Para a secretária da Mulher, Giselle Ferreira, essa ação é uma iniciativa de inclusão da comunidade LGBTQIAP+ no mês de conscientização da prevenção ao câncer de próstata. “Nossa campanha é abrangente. Queremos chamar a atenção para a necessidade de consultas regulares e garantir que todo o público trans seja acolhido e cuidado”, destaca.

O dia teve início com as boas-vindas da subsecretária de Promoção das Mulheres, Renata D’Aguiar, aos participantes. “Ter acesso à saúde, ao respeito, à dignidade é um direito da população trans. Destaco a importância de garantir que as pessoas trans sejam acolhidas da mesma forma que qualquer outro paciente, e a Casa da Mulher Brasileira está de portas abertas para todos que desejam receber capacitação profissional e acesso às campanhas e ações realizadas pela Secretaria da Mulher”, comenta.

 

Moradora do Recanto das Emas, Maria Luíza, mulher trans de 38 anos, não conhecia a Casa da Mulher Brasileira, e ficou sabendo da campanha Novembro Azul por uma amiga. “Me surpreendi ao chegar aqui, fui muito bem-acolhida. Vou fazer todos os exames e assistir às palestras. Essa ação de hoje é uma conquista para nós, estão todos de parabéns por essa iniciativa”, completa.

O ambulatório de Diversidade de Gênero, da Secretaria de Saúde, montou dois consultórios para a realização dos exames. A gerente de serviços da UBS 1 de Ceilândia, Deisyelle Borba, destacou que a rede de saúde do DF possui postos de distribuição de medicamentos nas regiões administrativas. “Estamos aqui hoje para passar o máximo de informações para que todos possam dar continuidade no cuidado com a saúde”.

Cada participante teve a oportunidade de realizar testes rápidos de hepatite B e C, sífilis e HIV. Para Rafaela Delmary, recepcionista de 39 anos e mulher trans, a conveniência de realizar todos esses exames de maneira rápida e em um único local é altamente benéfica. “Participar desta ação, informar-me sobre a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) e receber orientação de um profissional de saúde vai me ajudar a cuidar melhor da minha saúde”, concluiu.

 

*Com informações da SMDF