Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/07/17 às 17h57 - Atualizado em 29/10/18 às 17h19

Escritório de projetos na Saúde trará impactos positivos para população

COMPARTILHAR

Ideia é aperfeiçoar os mecanismos de gestão da pasta a fim de tornar mais eficiente o acompanhamento de programas

SAULO ARAÚJO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA
Um dia depois de sancionada a lei que cria o Instituto Hospital de Base do Distrito Federal, o governo de Brasília deu mais um passo para modernizar a saúde na capital do País.

Nesta terça-feira (4), foi assinado o Termo de Abertura de Projeto que cria, na estrutura da Secretaria de Saúde, o Escritório Setorial de Gestão de Projetos e Processos.

Segundo o chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio, a intenção é aperfeiçoar o monitoramento dos processos que tramitam na pasta, melhorar a gestão de recursos e cumprir as metas estabelecidas.

“Construir uma gestão verdadeiramente estratégica, com metodologia aplicada, vai melhorar o trabalho na saúde e impactar positivamente a nossa população”, disse Sampaio.

A criação do Escritório não implicará em gastos com estrutura. A mão de obra será a do Escritório de Projetos da Governadoria, que vai dar consultoria aos gestores da Saúde até que eles possam administrar os procedimentos de forma autônoma.

Entre as iniciativas a serem acompanhadas pela equipe que integrará o escritório estão a criação do Instituto Hospital de Base do DF e a conversão de todas as unidades básicas de saúde para o modelo de Estratégia Saúde da Família. É o que estabelece a nova política de atenção primária do DF, definida pela Portaria nº 77, de 2017.

Modelo pode ser levado para outras pastas
De acordo com o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, o Escritório de Projetos na pasta vai conferir uma melhor organização aos trabalhos. “Vai contribuir em relação ao monitoramento e à fiscalização em algumas unidades”, destacou.

A chefe do Escritório de Projetos Especiais da Governadoria, Maria Raquel Melo, explica que os resultados do escritório setorial na Saúde poderão servir de estímulo para estender a iniciativa a outros órgãos do governo.

“Levaremos um arcabouço metodológico bem alinhado, a fim de aperfeiçoar e somar com o trabalho que já vem sendo feito na própria pasta. A partir dessa experiência, poderemos replicar para outras secretarias”, acrescentou Raquel.

EDIÇÃO: VANNILDO MENDES

Leia também...