Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/09/21 às 11h13 - Atualizado em 1/09/21 às 11h54

GDF adota força tarefa para garantir a segurança dos manifestantes no feriado da independência

COMPARTILHAR

Aline Félix – Casa Civil

 

 

O Governo do Distrito Federal (GDF) por meio da secretaria de segurança pública, da Casa Civil e a de Proteção da Ordem Urbanística estabeleceram o protocolo de medidas para reforçar a segurança nos perímetros da Esplanada do Ministérios para garantir a segurança dos manifestantes que estarão no feriado de 7 de setembro e definiu quais objetos estão proibidos de entrar nos locais. Na Esplanada dos Ministérios, o trânsito será interditado na altura da Catedral, e a Praça dos Três Poderes ficará fechada para o público. Um cordão de revista será feito para quem acessar os locais de protesto.

 

Cerca de cinco mil policiais serão mobilizados para manter a ordem nos protestos. A secretaria DF Legal também vai reforçar a fiscalização para garantir que os estabelecimentos comerciais, principalmente bares e restaurantes, cumpram os protocolos sanitários contra a covid-19.

 

Os secretários de Segurança Pública, Casa Civil e de Proteção da Ordem Urbanística anunciaram, em coletiva no Palácio do Buriti, as medidas que serão adotadas para garantir que as manifestações do feriado da independência ocorram de maneira pacífica e segura.
Foto: Guilherme Luca | Casa Civil

 

 

As ações foram anunciadas na tarde desta terça-feira (31) em coletiva de imprensa no Palácio do Buriti, pelo chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, e os secretários de Segurança Pública, delegado Júlio Danilo, e o de Proteção da Ordem Urbanística, Cristiano Mangueira de Sousa. “Foi feita toda uma preparação para organizar a realização dessas manifestações”, resumiu o chefe da Casa Civil. “É direito do cidadão se manifestar e dever do estado zelar para que essas manifestações sejam realizadas de forma pacífica”, completou.

 

 

Foi feita toda uma preparação para organizar a realização dessas manifestações. É direito do cidadão se manifestar e dever do estado zelar para que essas manifestações sejam realizadas de forma pacífica”Gustavo Rocha, chefe da Casa Civil

 

 

Revista

Um esquema de revista será adotado para impedir que as pessoas entrem na área destinada às manifestações com objetos que podem se transformar em arma branca, como garrafas de vidro e pedaços de ferro ou madeira — que pode ser o porta-bandeira. Álcool líquido também não será permitido. A Secretaria de Segurança pede que os manifestantes levem álcool gel.

Além disso, as equipes de segurança dos órgãos nacionais reforçarão a segurança, fazendo a proteção dos prédios públicos, como o Congresso Nacional, a sede do Supremo Tribunal de Federal (STF) e o Palácio do Planalto. Uma operação do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) será feita nas vésperas do feriado para retirar qualquer tipo de material que pode ser usado de forma indevida.

A ação envolverá as polícias civis, militares e federal, Corpo de Bombeiros, entre outras instituições atuarão em diversas frentes durante o 7 de Setembro.

 

 

Aglomerações

O secretário Cristiano Mangueira de Sousa pontua que o DF Legal ficará atento ao cumprimento das regras estabelecidas nos decretos editados pelo governador Ibaneis Rocha. Cristiano mangueira afirma ainda que a fiscalização será reforçada no feriado prolongado com 11 equipes que vão atuar em todas as regiões administrativas. “Nós detectamos ao longo dos últimos 30 dias, por meio de um serviço de inteligência, que alguns bares estavam travestindo a venda de ingressos como cobrança de reserva de mesa e couvert artístico”, conclui.

 

Gustavo Rocha reforçou que a maioria dos bares e restaurantes do DF seguem o decreto e  evitam a contaminação de covid-19. Há alguns estabelecimentos, cerca de 20 de acordo com o DF Legal, que promovem festas e aglomerações. Todos eles estão interditados e sujeitos à multa em dobro se flagrados em funcionamento. “Uns poucos estão prejudicando todo o setor”, ressaltou o chefe da Casa Civil.