Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/05/16 às 21h33 - Atualizado em 29/10/18 às 17h18

Governo de Brasília implementa coleta seletiva solidária em órgãos públicos do DF

COMPARTILHAR

Além de diminuir o impacto ambiental, a medida irá ainda complementar a renda de catadores

Começa nesta quarta-feira (4), no Palácio e Anexo do Buriti, a campanha Coleta Seletiva Solidária. A ação tem como foco a conscientização de servidores públicos e prestadores de serviços quanto à importância e os benefícios da redução da geração de resíduos e do correto descarte no ambiente de trabalho. Além de contribuir com o meio ambiente, diminuindo o impacto do descarte incorreto, a Coleta Seletiva Solidária permitirá ainda que associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis tenham nova oportunidade econômica, que poderá gerar uma renda extra de R$ 50 mil/ano só com os resíduos do Anexo e Palácio do Buriti. 


Como num treinamento, a campanha inicia a implementação da coleta solidária, ao tempo em que equipe de especialistas passará nas sessões orientando sobre o novo modelo de descarte, retirando gradativamente as lixeiras e inserindo as caixas coletoras de recicláveis. Serão apresentadas também peças teatrais itinerantes abordando o tema. Vídeos motivacionais gravados pelo Secretário da Casa Civil, Relações Institucionais e Sociais, Sérgio Sampaio, e pelo secretário-adjunto de Relações Sociais, Igor Tokarski, serão enviados aos servidores, convidando-os a participar ativamente da campanha, iniciando o correto descarte de materiais. “Precisamos ter essa consciência para poder gerar uma atitude positiva entre todos os servidores do Distrito Federal. Vamos fazer a nossa parte por um meio ambiente mais sustentável e por um planeta melhor que vamos deixar para as futuras gerações”, disse Sampaio.


A cooperativa responsável por recolher o material, três vezes por semana, será definida por meio de edital público. A estimativa é que Palácio e Anexo do Buriti geram cerca de 300 quilos por dia de material reciclável. Segundo Igor Tokarski, secretário-adjunto de Relações Sociais da Casa Civil, os preços de venda de materiais recicláveis recuperados, por exemplo, são vendidos no valor de R$ 0,70/kg de reciclável comercializado.


Depois de implementada a primeira fase do projeto, outros órgãos do governo de Brasília irão aderir ao programa. O intuito é fortalecer a identidade do Executivo como ente federado que atua para garantir o descarte correto dos resíduos sólidos e ainda estimular a Coleta Seletiva Solidária na gestão pública.


Começa nesta quarta-feira (4), no Palácio e Anexo do Buriti, a campanha Coleta Seletiva Solidária. A ação tem como foco a conscientização de servidores públicos e prestadores de serviços quanto à importância e os benefícios da redução da geração de resíduos e do correto descarte no ambiente de trabalho. Além de contribuir com o meio ambiente, diminuindo o impacto do descarte incorreto, a Coleta Seletiva Solidária permitirá ainda que associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis tenham nova oportunidade econômica, que poderá gerar uma renda extra de R$ 50 mil/ano só com os resíduos do Anexo e Palácio do Buriti. 

Como num treinamento, a campanha inicia a implementação da coleta solidária, ao tempo em que equipe de especialistas passará nas sessões orientando sobre o novo modelo de descarte, retirando gradativamente as lixeiras e inserindo as caixas coletoras de recicláveis. Serão apresentadas também peças teatrais itinerantes abordando o tema. Vídeos motivacionais gravados pelo Secretário da Casa Civil, Relações Institucionais e Sociais, Sérgio Sampaio, e pelo secretário-adjunto de Relações Sociais, Igor Tokarski, serão enviados aos servidores, convidando-os a participar ativamente da campanha, iniciando o correto descarte de materiais. “Precisamos ter essa consciência para poder gerar uma atitude positiva entre todos os servidores do Distrito Federal. Vamos fazer a nossa parte por um meio ambiente mais sustentável e por um planeta melhor que vamos deixar para as futuras gerações”, disse Sampaio.

A cooperativa responsável por recolher o material, três vezes por semana, será definida por meio de edital público. A estimativa é que Palácio e Anexo do Buriti geram cerca de 300 quilos por dia de material reciclável. Segundo Igor Tokarski, secretário-adjunto de Relações Sociais da Casa Civil, os preços de venda de materiais recicláveis recuperados, por exemplo, são vendidos no valor de R$ 0,70/kg de reciclável comercializado.

Depois de implementada a primeira fase do projeto, outros órgãos do governo de Brasília irão aderir ao programa. O intuito é fortalecer a identidade do Executivo como ente federado que atua para garantir o descarte correto dos resíduos sólidos e ainda estimular a Coleta Seletiva Solidária na gestão pública.