Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
20/05/24 às 10h24 - Atualizado em 20/05/24 às 10h24

Mulheres com dificuldade de amamentar têm apoio de bancos de leite

Amamentar pode ser desafiador, sobretudo no início. Dores, fissuras e outras complicações são capazes de transformar o ato em uma preocupação para as mães. Porém, com acolhimento adequado e assistência multiprofissional, é possível vencer esses desafios, garantir a nutrição do bebê e até se tornar uma doadora de leite materno.

 

Foi o que aconteceu com a zootecnista Rafaela Carvalho, 41. Mãe da pequena Ester, de 6 meses, ela sofreu com incômodos logo nos primeiros dias de aleitamento. “No hospital, eu já estava tendo dificuldades; mas achei que era normal e que iria me acostumar”, lembra. Com a filha sofrendo e o bico dos seios ferido, ela procurou ajuda no Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Hoje, Rafaela não só alimenta a filha, como também faz doação de cerca de 700 mililitros por semana.

 

A doadora participou na última quarta-feira (15) de um encontro promovido pelo banco de leite do HRT, onde foram contadas histórias únicas, mas com muitas semelhanças. A militar Alba Ferreira, 33, por exemplo, não conhecia o hospital quando buscou ajuda para superar os desafios da amamentação. “Eu me senti muito bem acolhida e achei a estrutura maravilhosa”, elogia. Três meses depois, além de amamentar o Cauê, ela também faz doações semanais, coletadas em domicílio por uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF).

 

O encontro deu às doadoras a oportunidade de conhecer mães de bebês que dependem do leite de outras mulheres. É o caso da Alessandra Bispo dos Santos, 26. Há 27 dias, ela se dedica aos cuidados das gêmeas Isadora e Isabela, que nasceram com 1,4 quilos. A mãe comemora o ganho de peso das meninas e já planeja os próximos passos. “Elas estão pegando o meu peito. Espero um dia ser doadora também”, revela.