Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/06/21 às 13h30 - Atualizado em 30/06/21 às 13h31

Robótica para jovens do sistema socioeducativo

COMPARTILHAR

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: MÔNICA PEDROSO

 

Na próxima quinta-feira (1º/7), às 9h30, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF (Secti-DF) vai inaugurar o laboratório de Robótica na Unidade de Internação de Santa Maria.

 

Laboratório Include é uma parceria da Secretaria de Ciência e Tecnologia com o Instituto Campus Party | Foto: Divulgação/Secti

 

A implantação do Laboratório de Robótica será em parceria com o Instituto Campus Party, por meio do Programa Include, e tem por objetivo qualificar jovens e adolescentes do sistema socioeducativo para o mercado de trabalho. Eles serão capacitados em tecnologias da transformação digital, acesso às tecnologias de informação, comunicação e desenvolvimento de soluções digitais.

 

“Estamos fazendo uma revolução tecnológica no Distrito Federal e Brasília será uma cidade inteligente. Este é o primeiro laboratório a ser implantado em uma unidade de internação na América Latina, com acesso à inclusão digital”, enfatiza Gilvan Máximo, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF.

 

O projeto inclui a promoção de atividades pedagógicas, capacitações em desenhos 3D com softwares livres, manuseio de impressoras 3D, desenvolvimento de projetos em 3D, programação para smartphones, iniciação ao Linux, conceitos de web design, introdução à realidade virtual e desenvolvimento de técnicas e cultura empreendedora através da robótica.

 

Para a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, “todas as inciativas que permitem a quebra de um ciclo de violência é um avanço para toda sociedade, além de empoderar pessoas socialmente excluídas, através da capacitação em tecnologias. Isso é a prática da aplicação das políticas públicas que tanto trabalhamos para efetivar”.

 

Na Unidade de Internação de Santa Maria foi montado o laboratório de robótica com computadores e impressoras 3D. Os alunos vão trabalhar com realidade aumentada, aplicativos e todo o material didático é exclusivo do projeto, que iniciará com turmas para adolescentes. As aulas serão realizadas às segundas e quintas-feiras. Os participantes foram inscritos a partir do interesse na área de tecnologia, da idade e do tempo de cumprimento da medida socioeducativa.

 

*Com informações da Secretaria de Ciência e Tecnologia