Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/03/17 às 13h58 - Atualizado em 29/10/18 às 17h18

Rollemberg defende estratégia do fórum de governadores para reforma da Previdência

COMPARTILHAR

Segundo governador de Brasília, situação previdenciária é grave em todos os estados e no DF, o que exige medidas para equilibrar o sistema

DA AGÊNCIA BRASÍLIA

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, afirmou nesta quarta-feira (22) que a situação da Previdência é grave em todos os estados e no Distrito Federal e propôs um debate amplo sobre a decisão da Presidência da República de restringir a proposta de reforma do setor à esfera da União.

Na terça-feira, o presidente da República, Michel Temer, retirou as unidades da Federação da proposta de reforma da Previdência enviada ao Congresso Nacional. A decisão, que vale também para os municípios, pegou os governos estaduais e distrital de surpresa. “Seria melhor se esse tema fosse tratado no âmbito nacional entre todos conjuntamente”, ponderou o governador.

“Sobre essa decisão do presidente, nós temos que reavaliar a estratégia de como equilibrar os sistemas estaduais e distrital de Previdência”
Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília.

Com a retirada, caberá aos governos estaduais e distrital propor mudanças nas respectivas casas legislativas. Rollemberg lembrou que o déficit previdenciário “é muito grande” em todos os entes federativos. Por isso, segundo ele, os estados e o DF devem tomar uma posição conjunta em breve para evitar o colapso da Previdência.

“Sobre essa decisão do presidente, nós temos que reavaliar a estratégia de como equilibrar os sistemas estaduais e distrital de Previdência”, observou Rollemberg. “Nós vamos ter uma reunião do Fórum Permanente de Governadores na primeira semana de abril, e certamente esse tema estará em pauta”, enfatizou.

O chefe do Executivo local não vê conflito com decisões adotadas por seu partido, o PSB, sobre o tema. “O partido tem uma posição filosófica em relação à Previdência. Agora é claro que, no curso do debate, esse pensamento poderá avançar no sentido de buscar uma composição que seja boa para o País”.