Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/07/21 às 13h19 - Atualizado em 9/07/21 às 13h19

Vacinas não aplicadas serão redirecionadas no Distrito Federal

COMPARTILHAR

HÉDIO FERREIRA JÚNIOR, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: RENATA LU

 

Das mais de 1,8 milhão de vacinas contra a covid-19 recebidas pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para imunizar a população, apenas 3.698 doses ainda não tinham destinação definida até a manhã desta quinta-feira (8). A quantidade faz parte dos imunizantes destinados a grupos prioritários ou por faixa etária que estavam agendados, mas não procuraram os 55 postos de vacinação para recebê-las.

 

As doses que serão remanejadas fazem parte dos imunizantes destinados a grupos prioritários ou por faixa etária que estavam agendados, mas não procuraram os 55 postos de vacinação para recebê-las | Foto: Joel Rodrigues

 

Na tarde desta quinta, a Secretaria de Saúde decidiu remanejar essas doses e incluí-las na vacinação da população entre 41 e 59 anos de idade, faixa etária que passa a ser atendida a partir da próxima segunda-feira (13).

 

Desde o início da campanha, o DF já recebeu 1.830.250 doses para a primeira e segunda doses, as chamadas D1 e D2. Destas, 1.620.352 foram distribuídas, sendo já 1.433.256 aplicadas. Outras 209.989 de D2 estão na rede de frios separadas para completar o ciclo de imunização daquelas pessoas que já tomaram a primeira dose e, assim, mantêm garantido todo o ciclo de imunização, ao contrário do que ocorreu em outros estados.

 

Somadas a elas, estão as 187.096 que já foram distribuídas:  34 mil são de D2 para aplicação de 8 a 13 de julho, e 52.398 da Janssen (dose única) – destinadas exclusivamente a professores (34.450), integrantes do sistema prisional (16.048), recicladores de lixo (1,4 mil) e vigilantes (500).

 

Secretário da Casa Civil do DF, Gustavo Rocha lembrou em coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (8) que o GDF mantém a decisão de não aplicar como primeira dose aquelas recebidas para segunda. Isso porque, como depende das remessas do Ministério da Saúde, não há segurança de que as vacinas chegarão no tempo e modo adequado para atender a população que recebeu a primeira dose, evitando, assim, o risco de suspensão ou atraso de vacinação.

 

“As doses que estão na rede de frios permanecem lá porque não chegou o momento ainda de aplicá-las. Quando chegar o momento da vacinação elas serão direcionadas”, avisou Rocha.